29/03/2021 às 23h27min - Atualizada em 29/03/2021 às 22h51min

OS MÁRTIRES DA LIBERDADE COMEÇARAM A TOMBAR!

Prof. Felipe B. Arboith
          O país ficou em choque com o ocorrido no último domingo (28 de março) na região do Farol da Barra, em Salvador, onde um PM foi covardemente fuzilado por seus colegas de farda. Wesley Góes trabalhava na 2º Companhia Independente de Polícia Militar (72ºCIPM) de Itacaré e no último domingo, às 14 horas, fardado e com o rosto pintado com as cores da bandeira brasileira, desceu de seu carro jogando seu celular ao chão e armado com fuzil e pistola, fazendo disparos ao alto, bradava: EU NÃO VOU DEIXAR, NÃO VOU PERMITIR, QUE VIOLEM A DIGNIDADE HUMANA DO TRABALHADOR. O jovem soldado claramente se colocava contrário às ordens ditatoriais do governador da Bahia, Rui Costa (PT), que cada vez mais massacra o povo baiano com restrições irracionais.



          Segundo os grandes veículos de informação, após três horas e meia de negociações, o soldado mártir teria efetuado disparos contra a equipe de colegas, sendo assim assassinado de forma cruel.

          Em nota, a Polícia Militar da Bahia afirmou que “lamenta profundamente o episódio“ e que “todos os esforços foram feitos por um final pacífico“ durante o que chamaram de um “possível surto“ do PM.

          A mídia brasileira imediatamente começou a noticiar o fato, destacando sempre mais que o ocorrido foi consequência de um surto que o PM havia sofrido. Sendo isso verdade ou não, o fato é que mostra a pressão psicológica que nossos policiais estão passando, tendo que obedecer ordens que contrariam suas consciências e seu juramento de defender a população. Isso se comprova claramente em uma das frases que o PM gritou antes de ser abatido:
 
“EU NÃO VOU MAIS PRENDER TRABALHADOR, NÃO ENTREI NA POLÍCIA PARA PRENDER PAI DE FAMÍLIA”

           

          Nossos governantes, projetos de ditadores, cada vez mais tentam restringir a liberdade da população, utilizando a pandemia de COVID 19 como desculpa para decretar restrições sem sentido e sem comprovação de eficácia, destruindo a vida de seus cidadãos. Para isso, ordenam as forças policiais a agirem contra sua moral, prendendo, perseguindo e massacrando os poucos do povo que ainda tentam se opor a essas loucuras.

          Tratando em especial esse caso ocorrido em solo baiano, podemos ver, mais uma vez na história, o sangue de um herói soldado, encharcando a terra na defesa da liberdade e da dignidade humana, contra as loucuras de representantes de ideologias de esquerda. A história se repete senhores! Soma-se, mais uma vez, ao número dos milhões de mortos tombados por força de regimes e atos autoritários de seguidores do pensamento e das ideias de Karl Marx, uma vida abatida cruelmente pelo simples sonho de ser livre.



          Aqui se entende o porquê de os partidos de esquerda utilizarem a cor vermelha em suas bandeiras e símbolos. Segundo eles, representa a luta dos oprimidos contra os opressores. Para a verdade, simboliza o sangue derramado pelos mártires que durante a história da humanidade se ergueram contra essas ideologias insanas e assassinas. Pode até ser que tenham razão em sua explicação, desde que os oprimidos sejam as pessoas de bem, e os opressores os poderosos defensores desse pensamento macabro.

             A voz do soldado Wesley Góes continuará bradando no solo baiano e nos ouvidos dos brasileiros. A luta pela liberdade e pela defesa da dignidade humana continuarão acessas. Isso ocorrerá tanto pela luta e pelas manifestações de seus colegas policiais que já anunciam uma possível paralização no Estado da Bahia, como também pelos representantes do povo de bem que nos poderes da República já erguem suas vozes para que o martírio do PM não seja em vão.





          E não só por meio deles, mas também por nós, eu e você, que no pouco que temos, na simplicidade em que vivemos, também iremos lutar sempre por nossa liberdade, por nossas vidas e por nossas famílias contra as loucuras da esquerda.

            Sejamos corajosos e destemidos. Saiamos do nosso conforto. O momento é esse. Está na hora da nação brasileira se levantar em defesa daquilo que o PM Góes morreu gritando: A LIBERDADE E A DIGNIDADE HUMANA.
 
          Encerro essa reflexão lembrando:

O SANGUE DOS MÁRTIRES COMEÇOU A JORRAR!
OU REAGIMOS, OU SEREMOS PISADOS PELO COMUNISMO NO BRASIL!
Link
Prof. Felipe B. Arboith

Prof. Felipe B. Arboith

Brasileiro, patriota, cristão católico, conservador, professor de filosofia na rede pública de ensino do Estado de Sta Catarina!

Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp