14/01/2021 às 14h30min - Atualizada em 15/01/2021 às 00h40min

Movimentação de cargas no Porto de Imbituba tem crescimento de mais de 10% no mês de novembro

Porto catarinense pode fechar o ano com maior registro de movimentação de cargas de sua história

DINO
http://www.polifitema.com.br


Com 484,3 mil toneladas de cargas movimentadas em novembro, o Porto de Imbituba, em Santa Catarina, fechou o penúltimo mês de 2020 com alta de 12,4% no volume de produtos transportados na comparação com o mesmo período do ano passado, quando 430,7 mil toneladas foram embarcadas. Desse total, aproximadamente 46,4% corresponderam às importações, por volta de 41,6% às exportações e cerca de 12% representaram a cabotagem de contêineres.

Os bons resultados obtidos tiveram como ponto-chave a variedade de mercadorias movimentadas, como contêineres, celulose, minério de ferro, comidas em bags, ureia, malte, guindaste e coques de petróleo. Dentre os produtos de destaque sobressaem o milho, com 153% de aumento, e o sal, com alta de 107,4% no transporte.

Já a respeito da movimentação acumulada de janeiro a novembro, os números deste ano estão apenas 0,8% abaixo do registrado no mesmo intervalo de tempo em 2019. Entretanto, as perspectivas para dezembro apontam novo crescimento e um recorde histórico para o Porto de Imbituba, deixando para trás as 5,7 milhões de toneladas embarcadas no último ano.

Somente em 2020, o terminal chegou a bater dois recordes mensais, alcançados nos meses de junho e setembro, com 602,3 mil e 602,7 mil toneladas transportadas, respectivamente. Também neste ano foi registrada a maior operação de cargas em uma única embarcação: 119,7 mil toneladas.

Crescimento em Porto Seco de Foz

Considerado a maior estação aduaneira de transporte de cargas na América Latina, o Porto Seco de Foz, no estado do Paraná, registrou, em outubro, a maior movimentação nos últimos quatro anos. Durante o período foram 18 mil embarcações liberadas no terminal. Somente em 2020, foram cerca de 135 mil veículos de carga despachados, quase quatro mil a mais do que em 2019.

Outros portos do Paraná

Seguindo o crescimento de Imbituba e Porto Seco de Foz, outros dois terminais de cargas paranaenses, em Antonina e Paranaguá, bateram o recorde histórico anual de movimentação de cargas, transportando 53,3 milhões de toneladas. Somente em novembro, foram 4,4 milhões de toneladas de mercadorias transportadas nos dois portos.

De toda a movimentação realizada nos dez primeiros meses do ano em ambos os terminais, por volta de 65%, 38,1 milhões de toneladas, correspondem à exportação de produtos, aproximadamente 13% a mais do que em 2019 no mesmo período. Somente os granéis sólidos representaram cerca de 32,5 milhões de toneladas das cargas exportadas.

Números positivos na pandemia

Todos os resultados apresentados mostram um cenário bastante animador para o setor de cargas portuárias, mesmo durante um ano completamente afetado pela crise causada pela pandemia de covid-19. É importante frisar que toda a movimentação de produtos pelo país se deve ao trabalho árduo das empresas de transporte, equipamentos, modais e demais negócios relacionados.

Para que tudo isso ocorra de forma ágil e segura, as transportadoras contam com equipamentos específicos para a realização dessas atividades, dentre elas cintas de amarração de carga, responsáveis por garantir a segurança no processo de deslocação de mercadorias.



Website: http://www.polifitema.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp