01/02/2021 às 17h46min - Atualizada em 01/02/2021 às 18h20min

Pneus: especialistas dão dicas para acertar na escolha

Especialistas revelam detalhes para ter atenção na hora de comprar um novo pneu para o carro

DINO
http://casagrandeautoshopping.com.br/


O começo de ano costuma ser o período em que mais se tem gastos extras. É necessário pagar o IPVA do carro, o IPTU da casa e, no caso de quem tem filhos, preparar o material escolar para o ano letivo que se inicia.

Além disso, esse é um período em que também é normal fazer a revisão do carro e, em alguns casos, trocar o jogo de pneus. Isso acontece porque um jogo de pneus tende a durar entre 50 a 60 mil quilômetros. Como a média de rodagem no Brasil é de 20 mil quilômetros por ano, um jogo de pneus dura entre 2 anos e meio a 3 anos na média. Assim, tanto quem comprou o carro no meio do ano, quanto quem comprou no final ou começo pode atingir o limite de desgaste mais ou menos nessa época.

O problema para muitos, no entanto, é acertar na escolha de um novo pneu. São tantos os modelos e marcas disponíveis nas lojas que fica difícil decidir qual é o melhor.

Entretanto, existe um método fácil para não errar nessa escolha. Pelo menos é o que garante o Casa Grande Auto Shopping . De acordo com a empresa, é possível acertar na escolha do novo pneu do carro seguindo alguns passos simples, que podem ser conferidos a seguir.

1. Cuidado com o tamanho do pneu

A primeira dica compartilhada pela equipe do Casa Grande Auto Shopping é ter atenção ao tamanho do pneu. Cada automóvel aceita pneus de um determinado tamanho, considerando sua largura, altura da banda de rodagem e aro. Normalmente, há uma pequena margem de tolerância em relação a esses elementos, o que dá alguma flexibilidade ao motorista.

Por exemplo, um automóvel que tenha um pneu 165/55 de aro 13 talvez também aceite um pneu 175/55 de aro 14. No entanto, dificilmente conseguirá usar um pneu 205/65 de aro 16.

Portanto, é essencial ter cuidado com o tamanho do pneu para cada carro. Uma dica interessante é olhar o manual do proprietário para verificar qual é o tamanho recomendado pela fabricante e quais são os outros tamanhos que são tolerados dentro do carro. Isso dará uma margem para que o motorista possa pesquisar modelos on-line.

2. Atenção com a etiqueta do modelo

Um segundo ponto de atenção na hora de comprar um pneu para o carro é a etiqueta do modelo. Atualmente, o padrão de etiquetagem no Brasil conta com três informações importantes para o motorista:

• resistência ao rolamento (de A até G);
• aderência ao molhado (de A até G);
• ruído externo (medido em decibéis).

Cada uma dessas informações indica um cenário para o uso daquele pneu. Por exemplo, um modelo com nota A em resistência ao rolamento é um pneu de maior eficiência energética. Isso porque ele gira mais facilmente e não exige tanta força do motor. Portanto, não é necessário queimar tanto combustível.

Um pneu de nota A em aderência ao molhado tem excelente ação contra a aquaplanagem e aumenta a segurança ao dirigir na chuva. Já um pneu com baixo nível de ruído externo é mais confortável de dirigir e causa menos incômodo.

3. Sem preconceitos com pneus importados

Um ponto importante a ter em mente é que, agora, o Brasil vive uma espécie de invasão de pneus importados. Diversas marcas de mercados pouco tradicionais, como a América Latina, Coréia do Sul e China estão chegando ao país para competir contra as grandes marcas dos EUA, Japão e Europa.

Nesse sentido, muitos motoristas ainda nutrem preconceitos contra os modelos dessas marcas importadas, pois consideram que são produtos inferiores. No entanto, a verdade é que existem modelos muito bons de pneus importados, que são tão bons quanto aqueles das marcas mais conhecidas. Portanto, ao ignorá-los por não conhecê-los, o motorista está perdendo a oportunidade de fazer um bom negócio.

4. Preço x economia

Um dilema comum que todo motorista enfrenta é como comprar pneus mais baratos. Afinal, comprar um jogo de 4 pneus em que cada modelo custa R$300,00 é o equivalente a pagar R$1.200,00, algo relativamente caro.

No entanto, é importante ter atenção ao dilema entre preço e economia do modelo. Por exemplo, comprar um modelo remold pode ser mais barato na hora, mas a economia é menor. Isso porque ele dura mais ou menos metade do tempo de um tradicional, mas seu preço equivale a 70% de um tradicional. Logo, para rodar a mesma quilometragem de um pneu tradicional, seriam necessários 2 remolds, o que sairia mais caro.

Além disso, existe o elemento de consumo de combustível a levar em conta. Em alguns casos, um modelo de pneu pode ser mais caro do que o outro, mas ter uma eficiência energética que poupa gasolina no dia a dia e, no geral, se torna uma opção mais econômica.

5. Atenção com as tecnologias de cada modelo

Por fim, é importante avaliar as tecnologias que cada modelo possui. Alguns oferecem o sistema run flat, que permite que o pneu siga rodando por 80 quilômetros mesmo sem ar. Já outros oferecem um sistema de cancelamento de som ou uma estrutura mais reforçada.

Ao avaliar todos esses 5 pontos, é possível saber qual pneu é mais indicado para cada motorista e fazer uma compra segura. Como lembra a equipe do Casa Grande Auto Shopping, não existe um pneu que é "ruim". O que existe é um pneu que é incompatível com um carro ou com o contexto de um motorista.



Website: http://casagrandeautoshopping.com.br/
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp