19/02/2021 às 15h47min - Atualizada em 20/02/2021 às 00h20min

Arie Halpern: Ipv4 o protocolo que tem tirado o sono da internet

IPv6 aumentou em quase 40 casas decimais a quantidade de combinações possíveis para identificar dispositivos conectados à internet.

DINO
http://www.ariehalpern.com.br/ipv4-o-protocolo-que-tem-tirado-o-sono-da-internet/


Com o crescimento exponencial do uso da internet ficou claro que a quantidade de dispositivos superaria em poucos anos as combinações possíveis no IPv4 para identificar cada um deles. O esgotamento do protocolo desenvolvido junto com a internet passou a atrapalhar o sono dos especialistas, que se lançaram na busca de novas soluções.

IP é a sigla de Internet Protocol ou, em português, Protocolo de Internet. É o código ou endereço que identifica cada dispositivo conectado à internet, seja um smartphone, um computador ou um tablet. Cada aparelho conectado à rede tem o seu. Ao identificar cada dispositivo, ele garante que as mensagens e informações cheguem ao destino certo.

Independentemente de quantos dispositivos tiver conectados à internet, todos usam o mesmo endereço IP. É isso mesmo: smart TV, smartphone, tablet e PC usam um só endereço externo, mesmo quando usados ao mesmo tempo. Isso porque o modem e o roteador usam só um IP, mas criam endereços locais para cada um dos dispositivos.

Há vários sites e aplicativos que identificam o endereço e a localização do dispositivo. Entre eles o meuip e o whatismyip.

Já IPv4 quer dizer Protocolo de Internet versão 4. E o 4 significa que este protocolo permite criar 4 bilhões de combinações diferentes de números. Mais precisamente 4.294.967.296. Quando ele foi desenvolvido, junto com a internet, esta quantidade de endereços era mais do que suficiente para atender a necessidade de conexões que se previa para a rede mundial de computadores.

Só que o crescimento da rede foi muito maior, num ritmo exponencial. E já em meados da década de 1990 o IPv4 começou a tirar o sono dos especialistas em tecnologia. Por quê? Porque a quantidade de dispositivos já estava superando a quantidade de endereços disponíveis.

Os especialistas, então, foram buscar alternativas para resolver o problema. Algumas das alternativas foram a criação do Domain Name System - DNS, um sistema que relaciona os sites a palavras, e do Dynamic Host Configuration Protocol - DHCP, que possibilitou o uso de IPs temporários, que são cedidos ao usuário e voltam ao provedor quando o computador ou tablet está desligado para serem novamente usados.

Mas estas várias opções eram temporárias. Por isso, o desenvolvimento da versão 6, o IPv6, foi a grande solução. Com endereços no padrão 128 bits, em vez dos 32 bits da versão 4, ele aumentou em quase 40 casas decimais a quantidade de combinações possíveis. E deve nos poupar por muitos anos de uma nova insônia devido à escassez de endereços.

No Brasil, endereços IPv4 acabaram no ano passado

Na América Latina e no Caribe, os endereços IPv4 disponíveis acabaram em 19 de agosto de 2020, de acordo com o IPv6.br, iniciativa do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR - NIC.br para disseminar o novo protocolo no Brasil. Na maioria das outras regiões do mundo, os endereços se esgotaram antes disso, entre 2011 e 2018.

Além do maior número de combinações, o IPv6 também traz vantagens adicionais em termos de segurança, como o IP Security, que garante autenticidade, integridade e confidencialidade por meio de criptografia.

Mas se o IPv6 já existe e é melhor do que a versão anterior, por que ainda não foi adotado? Na verdade, esta substituição já está acontecendo. E começou há duas décadas. Ou seja, as duas versões estão sendo usadas simultaneamente. E ainda vai demorar alguns anos até que somente a mais nova esteja em uso.

A substituição exige mudanças também em todos os softwares e roteadores e isso tem um custo significativo, além de demandar tempo. Por isso, avançamos lentamente neste sentido.

A maioria dos dispositivos atuais funcionam com os dois protocolos: um IPv4 fornecido pelo provedor e um IPv6 gerado na própria máquina. E os sistemas operacionais dos novos equipamentos já saem de fábrica em compatibilidade com o novo IP.

Atualmente, cerca de 33% dos dispositivos no mundo usam endereços IPv6. Mas com o aumento da demanda causado pela pandemia, estima-se que esta quantidade deve chegar em breve a 50%.

O IPv6 terá efeitos significativos, aumentando as possibilidades da internet nos próximos anos, com produtos e serviços mais inteligentes e conectados.



Website: http://www.ariehalpern.com.br/ipv4-o-protocolo-que-tem-tirado-o-sono-da-internet/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp