15/06/2021 às 15h42min - Atualizada em 15/06/2021 às 17h30min

Qual a posição da mulher moderna na nossa sociedade

SALA DA NOTÍCIA LUCAS WIDMAR PELISARI

Essa é uma discussão que atrai os mais diversos olhares. Debater a posição da mulher, desde o surgimento da sociedade, é um assunto extremamente polêmico, isso devido ao fato das inúmeras submissões que as mulheres eram submetidas, unicamente em razão do sexo. 

Infelizmente, por muito tempo as mulheres sofreram com o patriarcalismo (e ainda sofrem por conta de seus reflexos). O patriarcado sugere uma “hierarquia”, que primeiro foi exercida sobre os escravos, e depois passou a ser exercida sobre a relação homem x mulher.

A discriminação biológica se caracterizou no momento em que o homem objetificou a mulher e criou uma hierarquia imaginária que até hoje afeta a nossa sociedade. Essa figura hierárquica se relaciona ao “dominus” que é o domínio exercido pelo homem sobre a mulher.

Através da figura do domínio, as mulheres foram privadas de sua autonomia, e consequentemente de todos os seus direitos sociais e políticos. Com a figura do domínio já estabelecida, a desigualdade se instaurou, e as mulheres começaram a ser submetidas a controles sociais. Esses controles compreendiam:

  • Controle doméstico: as mulheres deveriam servir e obedecer aos pais, e depois de casadas, esse encargo era repassado para a vida conjugal, sendo responsabilidade da esposa servir seu marido. O controle doméstico diz respeito até mesmo ao controle dos desejos sexuais, que obrigavam as mulheres a ter relações sexuais mesmo se não quisessem.
  • Controle ao mercado de trabalho: as mulheres eram privadas de trabalhar fora de casa, “servindo” apenas para cuidar dos filhos e da casa, dando a ideia de que essa obrigação era exclusiva e inerente às mulheres.
  • Controle ao acesso a locais públicos: as mulheres eram privadas de todas as liberdades, inclusive a de ir e vir. Em alguns locais era proibido o acesso das mulheres, como por exemplo, escolas, e locais destinados à discussão de políticas públicas, por exemplo. Esse controle se perfez até o surgimento da CF/88.

Por estarem submetidas a esses controles por tanto tempo, as mulheres já não questionam mais seus direitos e liberdades. 

Este cenário começou a mudar somente quando entraram em cena as guerras. Era muito comum que os homens que saíssem para guerrear não voltassem, deixando seu trabalho para trás, e também a administração da própria vida, que seguia mesmo sem eles. Com esse fato, as mulheres precisavam assumir o controle deixado pelos maridos mortos, e assim se iniciou um processo de redescoberta da sua importância na sociedade.

Ocupar um lugar que nunca fora alcançado ensejou nessas mulheres sede de justiça, e começaram a entender que juntas elas poderiam ir mais longe. E foi assim, que no final do século XIX se iniciou na Europa o chamado “MOVIMENTO FEMINISTA”. 

O movimento feminista foi difundido através de três grandes ondas, as quais as mulheres decidiram colocar em pauta assuntos jamais abordados. 

  • PRIMEIRA ONDA FEMINISTA, por volta do ano de 1913, que teve como principal questionamento o direito ao voto.
  • SEGUNDA ONDA FEMINISTA, nessa onda as mulheres evidenciaram o domínio entre homem e mulher, questionando esse comportamento, bem como a divisão de tarefas e responsabilidades exclusivas das mulheres. A diferença salarial, a autonomia sexual, a violência doméstica, e todas as opressões sofridas foram escrachadas, e as mulheres cada vez mais tinham vontade de ser livres e independentes, principalmente no que tangia à sua sexualidade. 
  • TERCEIRA ONDA FEMINISTA, em meados de 1980, que já não tinha como objetivo lutar por um direito específico, e sim cobrar das autoridades e do poder público que novas discussões pudessem ser sempre colocadas em pauta, mostrando que as mulheres não se “acomodaram” somente com as conquistas anteriores. Mesmo com tanta luta, o sexismo continuava acontecendo. 

O direito da mulher pela busca de sua autonomia e liberdade até hoje encontra dificuldade na sua compreensão, e na forma que ele é exposto. As raízes patriarcais da nossa sociedade restringem as mulheres de falarem sobre alguns assuntos, como o caso da sexualidade. Como dito acima, por muito tempo o direito sexual das mulheres era decidido pelo homem, e a mulher era obrigada a fazer o que ele queria.

Atualmente a posição da mulher moderna deve ser uma posição de luta, e de exigir respeito. 

Muitas mulheres ainda se sentem coagidas ao falarem de alguns assuntos, e a masturbação é um deles. Um assunto tão comum e popularizado entre homens, que quando abordado por mulheres atrai diversos olhares maliciosos e maldosos. 

A luta que devemos sempre evidenciar é a luta por respeito e igualdade, sem a banalização de assuntos tão importantes, que dizem respeito inclusive à nossa saúde. Assuntos como por exemplo a masturbação não devem mais ser tratados como tabu. Inclusive, neste site,  você, mulher, dona de si, que respeita as lutas das suas antecessoras e que não tem medo de ser feliz, encontrará os mais variados objetos para se divertir sem tabus e patriarcalismos. Comece hoje mesmo a ser a mulher moderna que você deseja. 


Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp