24/08/2021 às 17h16min - Atualizada em 25/08/2021 às 00h10min

Pedidos de empréstimo para abrir o próprio negócio atingem maior patamar desde janeiro de 2020, mostra FinanZero

Solicitações cresceram 8% de junho para julho e 127% no comparativo anual

SALA DA NOTÍCIA Alice Bachiega
https://finanzero.com.br/indice-de-emprestimo/
istock
 

Em meio à pandemia de covid-19, pequenos e médios empreendedores tiveram que rever seus modelos de negócio e adaptar-se a um período incerto na economia. No entanto, com a aceleração da vacinação, uma parcela da população recuperou a confiança na retomada de níveis pré-pandêmicos e passou a planejar a abertura de negócios próprios para auxiliar na renda comprometida.

 

De acordo com o Índice FinanZero de Empréstimo (IFE) do mês de julho, relatório mensal que mede a demanda de crédito na internet, os pedidos de empréstimo para abrir o próprio negócio cresceram 8% em julho, em relação ao mês anterior, e 127% se comparado com o mesmo período do ano passado.

 

Pedidos de crédito por razão de empréstimo

Fonte: base de usuários da FinanZero

 

Seguindo a mesma tendência de crescimento, os pedidos de empréstimos para dívidas vêm crescendo desde março deste ano, mês que registrou a maior alta (196%) desde janeiro de 2020. No mês de julho, as solicitações aumentaram 1% em relação ao mês anterior. 

 

 

Segundo Cadu Guidi, sócio-diretor de marketing da FinanZero, o aumento nos pedidos de empréstimo está relacionado ao avanço da imunização nos estados do país. “Com a população vacinada, temos perspectivas um pouco mais otimistas em relação à economia. Já notamos, inclusive, uma maior motivação financeira por parte de empresários, autônomos e MEIs”, diz. 

 

Fintechs auxiliam pequenos e médios empresários na concessão de créditos online

 

Durante a pandemia, as dificuldades enfrentadas por empresários na aquisição de crédito no país se intensificaram. Os altos juros e a burocracia para a obtenção dos empréstimos têm feito com que as fintechs sejam ainda mais procuradas para auxiliar na abertura de novos negócios. Com a promessa de otimização e inovação dos serviços voltados para o segmento financeiro, essas empresas aumentam as ofertas a empresários, principalmente com empréstimos e juros mais em conta.

 

O mapeamento do IFE também apurou as milhões de buscas relacionadas ao mercado de empréstimos no Google. O relatório apontou que a frase “juros baixos empréstimo" registrou crescimento de 13% no período de julho de 2020 a julho de 2021. Enquanto isso, as buscas por “empréstimo com garantia de celular” cresceram 24% também no último ano. Já neste ano, pesquisas sobre “empréstimos com baixos juros” cresceram mais de 500%, se comparado ao mesmo período do ano anterior. 

 

O crescimento e as inovações das fintechs impulsionam tendências e novas modalidades de linhas de crédito concedidas a empresários que desejam investir no próprio negócio. Ao fornecer um sistema de pagamentos online, as fintechs facilitam as atividades do pequeno e médio empresário. 

 

“Ao ter uma conta digital de acordo com as suas necessidades, podemos pensar em uma linha de crédito própria para aquele empreendedor. É importante levar em conta que nem todas as cidades possuem uma agência bancária física, então as fintechs podem tornar essas atividades acessíveis a todos os empresários, independente da região”, acrescenta Cadu Guidi.

 

No comparativo mensal, também realizado pelo IFE, a região Norte apresentou um crescimento, saindo de 59% para 70%, no interesse de buscas por empréstimo em julho de 2021, comparado ao mês anterior. No entanto, a região Nordeste segue tendo a maior porcentagem de procura pelo termo, com 82%, seguido da região Sudeste, com 71%,

 

As perspectivas do brasileiro para os próximos meses

Para traçar perspectivas, o IFE também realiza uma pesquisa de intenção para compreender a disposição dos brasileiros em relação à solicitação de empréstimos para os próximos meses. Em julho de 2021, 45% dos brasileiros entrevistados deixaram evidente a intenção em pedir empréstimo nos próximos três meses. Destes, 61,4% disseram que buscarão pelo serviço de modo online.

Em relação às demais razões das solicitações de crédito, dívida continua liderando entre os motivos para os pedidos de empréstimos: 45,29% dos respondentes pretendem solicitar empréstimos para quitar os débitos. Por outro lado, no comparativo mensal, os pedidos por crédito para negócio próprio ultrapassaram os de compras.

 

 

Para a realização desta pesquisa, o IFE considerou as respostas de um questionário online direcionado a 500 internautas de todo o Brasil, feito entre os dias 28 de julho a 05 de agosto deste ano, que refletem os dados do IBGE.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp