27/08/2021 às 10h54min - Atualizada em 29/08/2021 às 00h00min

O que é fintech?

SALA DA NOTÍCIA Victor
 

Uma empresa de tecnologia do setor financeiro. Essa seria a melhor definição para a palavra fintech, a união entre duas palavras em inglês financial (financeiro) e technology (tecnologia), mas não podemos limitar a explicação somente a isso.

 

O conceito de fintech vai muito além de duas palavras, pois podemos fazer referência direta a startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros de maneira quase que exclusivamente digital. 

 

Elas foram uma grande explosão no mercado, pois oferecem diversos produtos, com facilidades que os tradicionais bancos e empresas não são capazes de oferecer. Podemos dizer que quem mais ganhou com todo esse surgimento foi o consumidor. 

 

Por muito tempo a relação das pessoas com o dinheiro era algo extremamente apegado. Tornou-se comum ouvir as pessoas ou encontrar casos de famílias que guardavam grandes quantias em colchões, cofres caseiros e esconderijos dos mais criativos possíveis. 

 

E também existe o lado por trás da comodidade do mercado, infelizmente quando poucas empresas detêm o poderio sobre a maioria dos clientes, que por sua vez não têm opção de escolha, acabam parando no tempo devido à falta de necessidade de expandir o produto.

 

A chegada das fintechs mudou todo o patamar, agora é possível ter banco e realizar consultorias financeiras única e exclusivamente de forma digital, de modo a alcançar grandes objetivos pessoais. 

 

Ocorre que as startups chegam justamente para agregar algo novo e quebrar a espécie de bloquete de concreto que está travando a estrada do avanço do setor. Isso para as mais diversas empresas que tentam unir tecnologia com algo.

 

No caso das fintechs não é uma novidade, pois existem casos de pessoas que idealizaram a união do mercado financeiro com tecnologia desde a década de 60, com a criação dos caixas eletrônicos e posteriormente do cartão de crédito.

 

Ocorre que com a expansão da internet e de todos os meios digitais, as regras do jogo mudaram. Agora é possível realizar praticamente todos os setores da economia de forma exclusivamente digital, e as pessoas sequer têm a necessidade de irem aos bancos.

 

Todas as transações e atividades podem ser feitas de casa ou pelo celular de forma segura, agregando facilidade e competitividade no mercado. Uma pessoa cria uma conta no banco digital em menos de 1h, por exemplo, e o cartão chega em sua casa em menos de 15 dias. 

 

Existe também o fator divulgação, que graças à internet se tornou muito mais fácil combater as ideias falsas de que esses ramos não oferecem segurança ou apoio às pessoas. Uma falácia que foi desmistificada graças à democratização da informação.

 

Hoje, sabe-se que as fintechs são tão seguras quanto uma cinta lombar epi que os vidraceiros utilizam para limpar os vidros dos arranha-céus das grandes metrópoles. Então, agora falaremos um pouco sobre as fintechs.

 

O objetivo será abordar suas principais vantagens e características, bem como mostrar como a inovação pode gerar bons frutos para as pessoas que decidirem sair dos meios tradicionais. 

As principais vantagens de uma fintech

Agora que já compreendemos o que são as fintechs, vejamos de forma mais direta e específica suas principais vantagens, além de o motivo do crescimento delas tão acelerado no mundo todo, são elas:

 
  • Menos burocracias;
  • Atendimento diferenciado;
  • Experiência do cliente como prioridade;
  • Custos de utilização reduzidos.
 

Primeiro precisamos falar de uma realidade típica enfrentada pelo brasileiro, mas que em geral é um problema que o mundo todo sofre, burocracias. Basicamente você tem diversos órgãos controladores que exigem comprovações e pagamentos de taxas.


A ideia é que isso sirva para proteger e evitar fraudes, mas na realidade é um sistema antiquado que parou no tempo. Um exemplo claro é que para uma empresa de banco tradicional fazer a manutenção de cadeiras de escritório, seria necessário ao menos umas cinco solicitações. 

 

As startups em geral, e claro, as fintechs foram criadas justamente para conquistar grande parcela desses consumidores que não querem ficar horas em filas de banco, ou entregar milhares de documentos para realizar ações simples, como conseguir uma linha de crédito.

 

As fintechs entendem que o tempo do cliente é precioso e tentam ao máximo agilizar todos os processos. Alguns deles infelizmente permanecem, devido a leis que compõem cada estado e país, mas de maneira geral, as fintechs são muito mais rápidas.

 

A segunda grande vantagem é o atendimento ao consumidor. Podemos dizer que os meios tradicionais são como uma laje pré moldada isopor que esqueceram de passar o concreto posteriormente, ou seja, são frágeis.

 

A questão é que as fintechs são criadas por pessoas com espírito de jovem empreendedor digital, que teve inúmeras experiências negativas em SACs demorados ou filas que pareciam não ter fim.

 

Desse modo, dentro da cultura delas, é uma obrigatoriedade o trato com clientes de forma especial, pois se sabe de sua realidade e necessidade. A alta demanda dos meios tradicionais.

 

E justamente nesse contexto que adentramos na terceira grande vantagem das Fintechs, que é o User Experience, ou seja, UX. A UX se trata de uma cultura instaurada dentro da empresa que visa levar a melhor experiência para o usuário.

 

E isso é expandido para todos os setores da empresa. Seja o atendimento ao consumidor até o design do aplicativo da empresa, que é desenvolvido para uso exclusivo do consumidor.

 

Pense que o grande diferencial delas é a utilização da tecnologia, logo em todos os segmentos da empresa ela é utilizada de forma benéfica. Você conseguiria comprar até uma ou mais maquinas para frigorífico somente pelo aplicativo. 

 

Isso torna a vida dos usuários algo extremamente mais simples e direto. A ideia é que não surja o receio de entrar em contato com a empresa, pois sabe que você será tratado de forma única e sairá do atendimento com os problemas ou dúvidas solucionadas. 

 

Por último, os baixos custos de utilização. As fintechs não detém a utilização de muitas lojas físicas, logo não precisam se preocupar com aluguéis ou obras que visam atender um público de massa de forma física. 

 

Isso faz os custos de operação serem extremamente reduzidos, além é claro de não serem empresas dependentes do Estado para funcionarem, como é o caso dos bancos estatais. 

Sobre a seguranças das fintechs

O setor financeiro do Brasil e em outros países, como os Estados Unidos, detém um sentinela que funciona como uma espécie de vigia, no caso o Governo. Logo, todas as ações de empresas desse segmento que criam produtos, precisam seguir normas.

 

Lembra que citamos a parte burocrática que é impossível de se desvincular, é exatamente disso que estamos falando agora. Não é possível trabalhar no mercado financeiro sem ser vigiado e escutado. 

 

As empresas que fizerem uma espécie de isolamento acústico estúdio para burlar esse sistema, podem se envolver em grandes apuros no quesito das leis nacionais e internacionais. 

 

A grande maioria das fintechs não são conhecidas pelo público de massa, já que são novas e não detém tanto poderio publicitário, até o momento. Caso você tenha dúvidas se a empresa realmente existe, basta fazer uma consulta no site do Banco Central. 

 

A ideia por trás de startups é trazer a tecnologia com inovação, ou seja, é o novo empreendedorismo digital que se faz presente na vida das pessoas. Logo, a transparência costuma ser uma marca de praticamente todas elas.

 

Você até pode ouvir algum tipo de boato ou notícia que diga algo sobre elas, mas em geral as denúncias são em casos especificamente isolados, que não necessariamente envolvem as fintechs em si. 

Considerações finais

Ao longo do artigo, vimos a importância e a relevância das fintechs no cenário nacional e como elas agregam para o crescimento do setor financeiro como um todo. Que, inclusive, por muitos anos foi controlado pelas mesmas instituições, mas agora evoluiu. 

 

O consumidor tem mais escolhas, de modo que as opções conseguem atender aos mais diferentes tipos de perfis. Seja um estagiário que está começando sua vida no mercado de trabalho e precisa de ajuda financeira, uma mãe que precisa fazer o aluguel de lava louças.

 

E até empreendedores que precisam de um empréstimo para começarem os seus sonhos. A ideia é que todos possam construir um sistema que atende todos os públicos, e as fintechs produziram essa concorrência no mercado de forma ágil e responsável. 

 

Lembrando apenas que startups são empresas de tecnologias, logo uma fintech pode ser uma Startup. De todo o modo é preciso ter a segurança de todos os aplicativos e tomar cuidado para entrar sempre com os canais oficiais.

 

A tecnologia abre um precedente de comodidade enorme, mas também acaba exigindo um cuidado a mais no quesito de segurança. Confira o site e os telefones para ter certeza de que está falando com os canais seguros.

 

Essas são dicas que não envolvem apenas as fintechs, mas todas as outras instituições financeiras. A tecnologia precisa agregar a sua realidade e não prejudicá-la, ou seja, assim como faz uma fita de espuma para vedação


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp