03/11/2021 às 14h33min - Atualizada em 03/11/2021 às 14h33min

Rússia adere ao Consenso de Genebra

Agora são 36 os países-membros do documento que promove a saúde e o bem-estar da mulher e os alia a ações pró-vida

Em seus discursos, os representantes diplomáticos alertaram que a promoção do aborto como política pública vai contra os valores por eles defendidos (Foto: Divulgação)
Representantes dos países signatários do Consenso de Genebra, documento em que se posicionam contrários à adoção de leis internacionais pró-aborto e em favor da proteção da mulher, reuniram-se nesta quarta-feira (3), na sede da Missão do Brasil em Genebra (Suíça), para celebrarem um ano da assinatura da declaração. Na ocasião, foi comemorada a adesão da Rússia. O grupo agora reúne 36 países em prol da defesa da vida.

A reunião contou com a presença de representantes da Arábia Saudita, do Omã, da Hungria, da Líbia, da Polônia, da Guatemala, dos Emirados Árabes Unidos, da Uganda, da Gâmbia, da República Democrática do Congo e do Iraque. Cabo Verde também acompanhou o evento, como observador. A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que uma das metas para o próximo ano é fazer com que outros países se unam à iniciativa.

“É uma honra ser parceira dos países de vocês nessa jornada. Temos muito orgulho. Queremos que, no futuro, nosso filhos e netos olhem para este momento e celebrem o fato de que tivemos coragem de dizer 'não' à morte de tantas crianças e de cuidar, de fato, das mulheres”, afirmou a ministra.

A celebração teve até bolo de aniversário e canto de parabéns em cada uma das línguas dos países representados. Em seus discursos, os representantes diplomáticos alertaram que a promoção do aborto como política pública vai contra os valores por eles defendidos e que deixam marcas, nas mulheres, que ficarão para toda uma vida.

“Essa declaração vê a saúde da mulher de forma completa, com ações de efetiva equidade. E, além disso, temos neste acordo a previsão do respeito a valores que fortalecem os vínculos familiares. Esta é uma declaração, acima de tudo, de direitos humanos”, explicou a secretária nacional da Família, Angela Gandra.

Nesta quinta-feira (4), as nações signatárias voltam a se reunir, desta vez em evento oficial, na sede das Nações Unidas da cidade suíça, às 15h no horário local (11h no horário de Brasília).

Para dúvidas e mais informações:
[email protected]
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp