15/10/2019 às 13h46min - Atualizada em 16/10/2019 às 00h00min

IFC/Cobrecom ressalta a importância de checar as condições da instalação elétrica antes de alugar ou comprar um imóvel pronto

Além de atestar a segurança de toda instalação elétrica, as dicas da empresa que é referência nacional na fabricação de fios e cabos elétricos, garantirão um excelente negócio e sem quaisquer riscos para o imóvel ou para os seus moradores

DINO
http://www.cobrecom.com.br

Antes de comprar ou alugar um imóvel é fundamental checar as condições do local.

Tão importante que a estética é saber como estão as condições atuais da estrutura e das instalações hidráulicas e elétricas.

E a IFC/COBRECOM, reconhecida como uma das melhores e mais importantes empresas fabricantes de condutores elétricos do país, dá dicas importantes sobre o que deve ser averiguado com relação à instalação elétrica.

"Vale muito a pena investir em um check list de segurança antes de fechar negócio. Para essa etapa é fundamental contar com o apoio de profissionais experientes que irão avaliar o estado de conservação do quadro de luz, dos fios e cabos elétricos, das tomadas e interruptores, dos disjuntores e dos dispositivos DRs, entre outros", ressalta Rosevaldo Toaliari, Supervisor de Desenvolvimento de Produtos e Processos da IFC/COBRECOM.

Segundo ele, além da segurança da instalação, uma boa revisão dos componentes elétricos detecta qualquer eventual problema como a degradação e o aquecimento dos condutores elétricos, que podem resultar em aumento no consumo de energia e até mesmo curtos-circuitos.

O que deve ser avaliado

Todos os componentes da instalação elétrica (quadros de luz, fios e cabos elétricos, disjuntores, DRs, tomadas, interruptores, entre outros) devem ser analisados.

Vale lembrar que para a segurança do profissional que irá executar a tarefa, qualquer inspeção na rede elétrica de um imóvel deve ser realizada com a energia desligada.

Fios e Cabos Elétricos

É importante checar o estado da isolação dos fios e cabos e do cobre. Se a isolação estiver manchada, descolorida ou tiver qualquer outro sinal de desgaste e/ou se o cobre estiver escuro, oxidado, esverdeado ou sem brilho, é hora de trocar o condutor.

Também deve ser avaliado se os fios e cabos estão firmemente conectados aos disjuntores e barramentos.

Quadro de distribuição (Quadro de luz)

Segundo Hilton Moreno, renomado engenheiro eletricista, professor e Consultor Técnico da IFC/COBRECOM, o estado de conservação e a limpeza dos quadros de luz são determinantes para saber se haverá a necessidade ou não de uma atualização da instalação elétrica.

O profissional lembra que o excesso de sujeira, principalmente quando existe poeira metálica nos quadros, aumenta os riscos de incêndios e choques elétricos.

"Ao verificar um quadro de luz, o profissional deve checar itens básicos como ausência da porta, se há ou não a tampa que evita que as pessoas toquem nos componentes elétricos, além de fazer uma análise minuciosa do estado de conservação dos condutores elétricos e das conexões, entre outros", completa.

Toaliari explica que também deve ser feita uma avaliação de como estão distribuídos os circuitos elétricos.

"A instalação deve ser distribuída por disjuntores e dividida por partes, ou seja, um circuito para cada chuveiro, outros circuitos para as tomadas e outros para iluminação, entre outros. E dependendo do tamanho do imóvel, maior será a quantidade de circuitos que devem ser distribuídos", ressalta Toaliari.

Tomadas e interruptores

Também não devem ser esquecidos. O profissional deve avaliar nesses componentes se eles estão em bom estado de conservação, bem conectados e se os fios e cabos não estão degradados.

Chuveiros elétricos

Nesse caso é preciso olhar se a seção nominal dos condutores elétricos é a mais indicada para o aparelho, se há um circuito exclusivo para ele, se a sua rede está conectada a um DR e se as emendas dos fios ou cabos estão bem feitas e com fita isolante de qualidade ou conectores isolantes apropriados.

A ligação do chuveiro elétrico nunca deve ser feita por meio de plugue e tomada.
Imóveis com mais de 20 anos merecem mais atenção

As instalações elétricas mais antigas possuem o envelhecimento natural dos materiais. Então, a atenção deve ser redobrada nesses casos.

Outro problema é que os aparelhos usados antigamente como os chuveiros tinham potências muito menores que os atuais e a troca por um modelo mais moderno sempre resulta em quedas constantes da rede, fugas de corrente, entre outros.

Além disso, eram poucos os imóveis que tinham máquinas de lavar louças, micro-ondas, aparelhos para climatizar o ambiente, freezers, entre outros.

De acordo com Toaliari, eletrodomésticos modernos em imóveis antigos provocam desarmes constantes dos disjuntores, aquecimento da rede elétrica e um maior consumo de energia elétrica a cada mês.

"Além da avaliação citada acima, deve ser feito um estudo de adequação da instalação, na qual é feito um levantamento de cargas que indica o que deve ser atualizado. Geralmente, em imóveis com mais de 20 anos é preciso fazer novo dimensionamento da instalação e uma troca quase que completa dos componentes", afirma Moreno.

Toaliari lembra que é proibido fazer qualquer tipo de improvisação, pois os resultados serão as sobrecargas na rede que podem provocar curtos-circuitos e incêndios, além de riscos de choques elétricos e queimaduras.

Importante!

Se a instalação elétrica do imóvel estiver em perfeitas condições, é possível fechar negócio tranquilamente. Mas é recomendado realizar a revisão da instalação elétrica a cada cinco anos, mesmo que o local não tenha sofrido qualquer tipo de problemas com a rede elétrica.

IFC/COBRECOM: (11) 2118-3200 - 0800-7023163



Website: http://www.cobrecom.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp