16/10/2019 às 17h43min - Atualizada em 17/10/2019 às 00h00min

Governo assina MP para regularização de dívidas junto à União

Na manhã dessa quarta-feira (16 de outubro), o Presidente Jair Bolsonaro assinou uma medida provisória que visa estimular acordos e a regularização da situação de contribuintes com dívidas junto à União.

DINO
http://bit.ly/33AtidD

A Medida Provisória (MP) do Contribuinte Legal foi assinada nesta quarta-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro. Ela permitirá a negociação de débitos tributários e poderá auxiliar, de acordo com o Ministério da Economia, na regularização de dívidas de 1,9 milhão de contribuintes, que devem mais de R$ 1,4 trilhão à União.

O texto permitirá a negociação de dívidas tributárias em discussão no Judiciário e na esfera administrativa, ou já inscritas em Dívida Ativa. O texto abrange apenas tributos federais, como PIS, Cofins, IPI, Contribuição Previdenciária, Imposto de Renda, CSLL e Imposto de Importação. Débitos de empresas do Simples, porém, não estão inclusos.

A MP possibilitará descontos de até 50% das dívidas classificadas como C ou D no rating da Dívida Ativa da União. O percentual de desconto pode chegar a 70% no caso de pessoas físicas, micro e pequenas empresas. Os contribuintes, entretanto, poderão negociar apenas o valor de juros e multas, sem reduzir o montante principal, correspondente ao tributo devido.

Além disso, será permitido o pagamento dos débitos em até 84 meses. Pessoas físicas, micro e pequenas empresas poderão dividir os débitos em até 100 meses. Também haverá a possibilidade de concessão de moratória, ou seja, a instituição de um período de carência até o início dos pagamentos.

As categorias C e D abarcam dívidas de difícil recuperação. São os casos, por exemplo, de empresas que estão com dificuldades financeiras, que já faliram ou que estão em recuperação judicial.

No caso de dívidas em discussão na esfera Judicial ou administrativa, também poderá haver descontos, moratória e até 84 meses para pagamento. As teses abrangidas pelas transações, porém, deverão constar em edital.

Dados do Ministério da Economia dão conta que as transações permitirão o encerramento de processos que superam R$ 600 bilhões no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Na Justiça, os processos garantidos por seguro ou caução que poderiam ser encerrados somam R$ 40 bilhões.

Não serão abrangidas pelos benefícios trazidos pela MP as multas criminais ou as penalidades decorrentes de fraudes fiscais. Ainda, pessoas físicas e jurídicas que praticaram atos fraudulentos como forma de evitar o pagamento de tributos não poderão negociar suas dívidas.

A possibilidade de transação tributária como forma de extinguir débitos tributários consta nos artigos 156 e 171 do Código Tributário Nacional (CTN). Porém, o instituto nunca foi regulamentado. O artigo 171 prevê a utilização do instituto “mediante concessões mútuas”.

Empresas de todo Brasil podem ter assessoria em seus planejamentos tributários e declaração de regime para empresas, com prestadoras de serviço especializadas.



Website: http://bit.ly/33AtidD
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp