01/11/2019 às 15h38min - Atualizada em 02/11/2019 às 00h00min

Marcha contra as drogas deve reunir milhares de pessoas em Curitiba neste domingo

Na capital paranaense, mais de 35 instituições das áreas social, política, religiosas e de atendimento a dependentes químicos aderiram ao movimento. Mobilização ocorre na Praça Santos Andrade.

DINO
Marcha contra as drogas em Curitiba

Em todo Brasil, milhares de pessoas devem ir às ruas neste domingo (03) na chamada "Marcha das Famílias Contra as Drogas", uma reação da sociedade contra a pauta que está no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a descriminalização do uso das drogas. Estão confirmadas manifestações em 17 estados brasileiros e no Distrito Federal. Em Curitiba, o protesto ocorre às 15h, na Praça Santos Andrade.

A iniciativa é inédita no Brasil. Sob a coordenação da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania, a expectativa é de unir famílias e instituições contra a liberação do uso de entorpecentes. "O uso de drogas tem causado aumento no número de cracolândias, afastamento do trabalho e taxas de suicídio. Torna-se extremamente importante que toda a sociedade se mobilize para pressionar o Supremo Tribunal Federal e evitar que uma decisão equivocada acabe expondo, ainda mais, as famílias brasileiras ao grande flagelo das drogas", alerta o comunicado oficial de convocação do evento.

Na capital paranaense, a adesão é grande. São mais de 35 entidades representativas com participação confirmada, além de cidadãos comuns que se posicionam contrários às drogas. Entre as instituições, estão a Arquidiocese de Curitiba, o Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná (COMEP), Núcleo de Comunhão Pastoral, Associação Nacional dos Terapeutas em Dependência Química, Frente contra as Drogas do Paraná e dezenas de Centros de Apoio de Recuperação a Dependentes Químicos e suas famílias, como Amor Exigente, CRAVI e Pastoral da Sobriedade.

Pressão popular

A organização da marcha iniciou quando o Supremo Tribunal Federal informou que iria a julgamento uma ação sobre porte de drogas. A apreciação, ainda sem data confirmada, se refere a um processo da Defensoria Pública de São Paulo, que começou em 2015 e quer eliminar da lei 11.343/2006, o artigo 28, que proíbe uso, porte, compartilhamento e armazenamento de drogas e plantação de maconha. Três dos 11 ministros do Supremo já se manifestaram a favor da liberação do porte e uso. Traduzindo: eliminar o artigo 28 da lei 11.343/2006 significa autorizar o uso e o porte de todas as drogas ilícitas no Brasil, o que a Defensoria e o STF chamam de descriminalização.

Serviço:
A MARCHA DAS FAMÍLIAS CONTRA AS DROGAS
Dia: 03/11/19
Concentração: 15h
Local: Praça Santos Andrade

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA
Alessandra Lemos - 41 99646-3626


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp