14/07/2022 às 16h59min - Atualizada em 15/07/2022 às 00h01min

Férias com dicas de roteiro pelo patrimônio histórico de Curitiba

Professora do UniCuritiba fala sobre a importância cultural das antigas edificações e o que apreciar nas visitas

SALA DA NOTÍCIA Mem Comunicação
unicuritiba.com.br
Divulgação | UniCuritiba
O Centro Histórico de Curitiba será palco de mais um Festival de Inverno. Até o dia 16 de julho, moradores e turistas podem conferir uma programação com muita música, arte, gastronomia, atrações circenses, cinema ao ar livre e caminhadas por roteiros históricos da capital paranaense. Os organizadores estimam que 30 mil pessoas visitem a região do Largo da Ordem até o fim do evento.

Formada em Arquitetura e Urbanismo com doutorado em Geografia, a professora do UniCuritiba, Caroline Afonso, diz que a visitação aos prédios históricos envolve todos os sentidos: da atmosfera do espaço aos materiais e decorações do lugar, além do cheiro, sons e sensações.

“Além de conhecer a história, é importante perceber como nos sentimos nestes espaços, qual a relação que as pessoas tinham e têm com aquela edificação. É um mergulho em vários aspectos, a partir dos quais podemos aprender muitas coisas.”

A preservação do patrimônio histórico das cidades mantém viva a memória coletiva e ensina sobre técnicas construtivas, relações espaciais, sociais, econômicos e estéticas e, segundo a especialista, esses elementos ajudam as pessoas a compreender melhor o seu lugar no mundo.

Roteiro para as férias de julho
Além do Festival de Inverno no Centro Histórico de Curitiba, a arquiteta e urbanista Caroline Afonso sugere que moradores e turistas aproveitem as férias escolares de julho para visitar os locais interessantes da cidade. “Temos trechos muito ricos, com edificações nas quais se pode ter uma bela leitura espacial urbana, com uma escala bastante humana, que nos transporta a épocas de outras relações das pessoas com suas cidades”, explica. 
As dicas da especialista são:
  • Passeio pela Rua XV de Novembro, em especial nas conexões entre as praças Osório e Tiradentes, se estendendo até a Generoso Marques. A região tem edificações de diversas épocas e estilos arquitetônicos, como o “arranha-céu” Moreira Garcez, com linhas art déco, passando pelo eclético Palácio Avenida, Biblioteca Pública do Paraná e chegando à neogótica Catedral.
*Paço Municipal, um dos mais belos exemplares ecléticos de Curitiba, muito bem preservado e com guias locais bem-preparados para receber o público.
  • Centro Histórico, Largo da Ordem e praça do “Cavalo Babão” até a rua Portugal, com vários edifícios de diferentes períodos e estilos.
Cidades para conhecer
Cidade brasileiras como Ouro Preto, em Minas Gerais; São Miguel da Missões, no Rio Grande do Sul; Paraty, no Rio de Janeiro e os Centros Históricos de São Luís (MA), Salvador (BA), Olinda e Recife (PE) são exemplos de preservação do patrimônio histórico e valem uma visita.
No Paraná, além de Curitiba, as cidades de Lapa, Morretes, Paranaguá, Antonina e Castro se destacam, ainda que careçam de mais investimentos para a preservação do patrimônio histórico, avalia a professora do UniCuritiba.

Olhar especial
O curso de Arquitetura e Urbanismo do UniCuritiba – instituição que faz parte da Ânima Educação, uma das principais organizações de ensino superior do país – mantém um olhar diferenciado para o patrimônio histórico da cidade. Os estudantes não apenas entendem as teorias da restauração, mas também as diferentes formas de tratamento a esses bens.

Os conteúdos envolvem a contextualização histórica das edificações, visitas e estudos sobre técnicas construtivas, composições, escala da edificação, localização, relação com a vizinhança, estado de conservação e análises de problemas como infiltrações, rachaduras e vegetações que costumam brotar nas fissuras. Os estudantes também participam de um mapeamento de danos e intervenções aos patrimônios.

“Precisamos voltar nossa atenção para as edificações históricas, que aos poucos estão diminuindo nas cidades, apesar de toda a sua importância. Esses exemplares não são valiosos apenas para os arquitetos, mas para todos os cidadãos”, diz a professora.

Projetos de extensão
O curso de Arquitetura e Urbanismo do UniCuritiba realiza o projeto de extensão “Práticas em Arquitetura, Design de Interiores e Patrimônio”, que envolve, entre outras atividades, o Desenhando Curitiba. Nesse trabalho são feitos desenhos a partir de observações do patrimônio da cidade, com descrição da história da edificação e sugestão de roteiros para visitação.

De acordo com Caroline Afonso, há roteiros para percurso a pé, de bicicleta, de carro e de ônibus, possibilitando diferentes experiências urbanas. “Os percursos a pé e de bicicleta são particularmente atrativos porque reservam novos olhares para detalhes pouco percebidos quando passamos de carro ou ônibus. Nossa proposta é ressaltar a importância do patrimônio e criar laços, incluindo afetivos, a partir da observação e da experiência arquitetônica do espaço.”

Outro trabalho iniciado recentemente é uma pesquisa histórica sobre a Casa Sara Furquim, em Rio Branco do Sul, uma importante edificação que merece preservação. “Estamos trabalhando na investigação histórica, inserção urbana, relações afetivas dos moradores com a casa, além de um levantamento fotográfico e métrico para o mapeamento de danos. O objetivo é a criação de uma política pública municipal para o tombamento da casa e, o mais interessante, com a participação de vários dos nossos alunos.”

Para divulgar os trabalhos realizados no curso de Arquitetura e Urbanismo do UniCuritiba foram criados recentemente dois perfis no Instagram: Escritório Modelo (https://instagram.com/escmm2?igshid=YmMyMTA2M2Y=) e Desenhando Curitiba (https://instagram.com/desenhando.curitiba?igshid=YmMyMTA2M2Y=
 
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp