CIDADE NO AR Publicidade 728x90
07/02/2023 às 15h49min - Atualizada em 10/02/2023 às 00h02min

Revenda de semijoias é opção para renda extra e pode levar a negócios milionários

Vendas diretas de semijoias pode trazer retornos mensais de R$ 1 a 3 mil, como segundo emprego; e levar à empreendimentos milionários

SALA DA NOTÍCIA Assessoria de Imprensa
Freepik

“Comecei a revender por conta da pandemia e já cheguei a tirar mais de R$ 3 mil por mês", disse a revendedora de semijoias identificada como Samela, em depoimento feito à uma marca de Prata 925. Ainda que limitada, a quantia é o complemento primordial para uma parcela dos brasileiros — cujo salário médio de
R$ 2.569
pode não dar conta na hora de pagar as despesas. Entretanto, em alguns casos, o extra se torna fixo e o negócio chega a casa dos milhões. 

Segundo levantamento realizado pela empresa Acordo Certo, em 2022, mais de 20% dos brasileiros viram na venda de vestuários e produtos de catálogos o complemento necessário para fechar a conta no verde. Além do aspecto financeiro, trabalhar com revendas ganha cada vez mais adeptos pois permite uma rotina flexível de vendas. 

“A renda que era pra ser complementar virou principal. Tenho um filho de 6 anos e não conheço quase ninguém da cidade para deixar ele e agora posso ficar despreocupada pois consigo conciliar com a revender semijoias”, contou a revendedora. 

O revendedor faz o próprio horário, podendo fazer as transações por meio das redes sociais ou do whatsapp, em casa. Contudo, em casos excepcionais, o aperfeiçoamento das estratégias de revendas pode ser o início para empreendimentos milionários. 

"Quebrei muito a cabeça e perdi dinheiro até entender que deveria colocar toda a minha energia na rua mais movimentada do mundo: a internet", contou a empreendedora Sabrina Nunes, de 36 anos, para o UOL. Na entrevista, ela relatou que seu primeiro investimento de R$ 50 em acessórios do mercado popular foi motivado pela renda extra. 

Mas, conforme foi ganhando gosto e vendo os resultados, Nunes passou a desenvolver suas técnicas até montar um marketplace com um computador emprestado — momento no qual o negócio ganhou impulso e hoje se tornou o e-commerce Francisca Joias. Somente em 2021, a loja faturou R$ 12 milhões. 

Tipos de revenda: comprada e consignada

As taxas de lucros e comissões variam de acordo com a loja de semijoias. Situadas em diversas localidades, desde Curitiba e São Paulo até marcas com distribuição exclusiva para as regiões Norte e Nordeste, as fornecedoras podem exigir pisos de R$ 200 a R$ 500 de investimento inicial. 

Incluindo maletas pré-montadas ou personalizadas, o kit inicial viabiliza à revendedora acessórios diversos: anéis e brincos de prata; colares e piercings folheados a ouro, e podendo incluir um catálogo de vendas. Além do kit, a empreendedora pode comprar ítens para repor o estoque, sem quantidade mínima obrigatória. E após um mês, o aporte inicial é renovado. 

Por outro lado, há marcas que oferecem o tipo consignado de contrato. Funcionando como um empréstimo das semijoias, a revendedora sai às vendas com os acessórios sem comprá-las, pagando apenas pelo que revender. 

Sendo assim, há quem veja vantagem no consignado pois as peças não ficam “encalhadas” no estoque, sempre renovando as peças ofertadas. No entanto, a compra inicial tem a seu favor taxas de comissão maiores, o que normalmente ocorre nos planos neste tipo de revenda. 

Modalidades de venda e boas práticas

Independente do tipo de revenda, os clientes de semijoias, embora tenha hábitos em comum, possuem comportamentos de consumo específicos. Por isso, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Direta (ABEVD), elenca quatro tipos de técnicas comumente aplicadas na venda direta e seus benefícios:

  • Porta a Porta — a mais tradicional delas, nas visitas de porta em porta, o negócio pode ser fechado logo após a demonstração dos produtos.
     
  • Catálogo  — através dos catálogos, o empreendedor permite ao cliente mais tempo para analisar as ofertas, sendo uma estratégia utilizada em produtos conhecidos.
     
  • Eventos Sociais — fundamentais para sanar qualquer tipo de dúvidas em relação ao produto, por meio de apresentações, o revendedor fortalece o relacionamento junto aos clientes em potencial. 
 
  • Redes Sociais — modalidade que mais cresce, as abordagens via redes sociais permitem uma comunicação diversificada, com compartilhamento de experiência de compradores e de um catálogo eletrônico. 

Boas práticas

Presente no itinerário de empresas de todo tipo e tamanho, as boas práticas de venda direta incluem fatores básicos, que vão dos objetivos até o marketing pessoal para a revenda. 

 

De acordo com a aceleradora de negócios online SendPulse, o vendedor direto precisa se atentar a cinco pontos a fim de se tornar um empreendedor de sucesso do negócio: objetivos, público-alvo, estratégias de venda, marketing e funil de vendas.   

Objetivos: fase inicial da empreitada, estabelecer objetivos claros e factíveis como “aumentar as vendas em 15% no primeiro trimestre”, ou “alcançar X% de lucro no primeiro mês vendendo joias”, ajudam a guiar o negócio num primeiro momento. 

Público-alvo: conhecer quem é o cliente do seu negócio será essencial. Se o cliente compra perfume, quais seus gostos pessoais? Quais os hábitos rotineiros e lugares onde frequenta? Qual sua forma de comunicar? E-mails ou ligações? Montar o cliente ideal do seu negócio, segundo os manuais, são a chave para obter mais retorno e precisão. 

 

Estratégia: definido os objetivos e público-alvo, hora de traçar a melhor estratégia. À medida em que você conhece a clientela, apresenta-se a hora de escolher as modalidades de venda, a periodicidade dos contatos, bem como as técnicas de vendas mais efetivas. 

Marketing: convicto de todo planejamento, é hora da ação. E neste ponto, não só a maneira como você vai se apresentar e propagandear seus produtos — se por vídeo, fotos, persuasão por telefone — mas também será importante mapear os clientes em potenciais os quais você deve abordar. Segundo o manual, manter uma conta ativa nas redes sociais joga a favor do empreendedor. 

Funil de vendas: um conceito um pouco mais refinado e recente, o funil de vendas diz respeito à jornada de compra do cliente. Portanto, acompanhar a experiência do comprador se mostra importante. O primeiro contato foi por e-mail? De que maneira o empreendedor pode mantê-lo interessado nos produtos? Outra prática importante: mesmo com negócio fechado, manter contato com o cliente será fundamental em diversos aspectos, como fidelização e reputação. 


Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp