05/07/2022 às 13h54min - Atualizada em 06/07/2022 às 00h01min

Busca pela harmonização orofacial cresce como recurso de beleza natural

Especialista destaca que homens e mulheres estão mais conscientes na busca por técnicas que garantam uma aparência mais jovem e saudável ao rosto, mas sem exageros

SALA DA NOTÍCIA Agencia Fibra
Agencia Fibra
Imagem: Signature Clínica Boutique

De Wesley Safadão a Grazi Massafera, de Kate Perry a Jennifer Aniston. São inúmeras as celebridades que aderiram, nos últimos anos, aos benefícios da harmonização orofacial - área da odontologia que busca o equilíbrio estético e funcional do rosto e do sorriso. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os procedimentos estéticos não cirúrgicos são os mais procurados no Brasil, o que justifica o aumento de 540% da busca pelo termo no Google somente em 2020 no país. Por outro lado, com a tendência da valorização da beleza natural, como o Movimento Corpo Livre, por exemplo, os profissionais começam a perceber uma maior conscientização na busca pela harmonização. 

Mas, esse cenário não foi sempre assim. Os exageros resultaram no que hoje é chamado de Instagram Face, ou seja, muitas pessoas com a aparência artificial, igual, e que não combina com a personalidade e o restante do corpo. O motivo, segundo o dentista e especialista em harmonização orofacial da Signature Clínica Boutique, Dr. Anderson Marques, é um só: “não existe receita de bolo. Cada paciente tem demandas únicas e os profissionais devem priorizar isso”. 

 

Harmonização não é padronização

“Muitas pessoas já me perguntaram, nas redes sociais, sobre o valor de uma ampola de ácido hialurônico ou de um botox, por exemplo. Mas não é assim que funciona. Não existe um tratamento padronizado para todo mundo”, destaca o Dr. Anderson, que também é CEO da Clínica Boutique em Fortaleza. “Cada rosto tem um grau de envelhecimento e um formato específico. Precisamos avaliar tudo isso em consulta e de forma bastante cuidadosa para obter o melhor resultado possível”, diz.

O especialista conta já ter tido conhecimento de casos em que a pessoa teve 40 ou 50 ampolas de produtos preenchedores aplicados no rosto. “Esse exagero está longe de ser algo normal. Além de colocar a vida do paciente em risco pelo excesso da substância no organismo, jamais é prescrito por um profissional sério. Certamente trata-se de casos para cirurgia plástica ou outros procedimentos estéticos”.

Harmonização consciente

A boa notícia, segundo o Dr. Anderson, é que, atualmente, muitos pacientes, tanto homens quanto mulheres, já chegam ao consultório com a consciência de que a harmonização orofacial está a serviço de uma beleza natural. “Querem envelhecer bem, mas com naturalidade e sem causar estranhamento. Os pacientes se interessam em saber o que há de mais efetivo para atender essas expectativas”. 

E, muitas vezes, uma mudança sutil tem impactos positivos na qualidade de vida, como, por exemplo, eliminar uma marca de expressão que transmite, equivocadamente, uma impressão de mau humor ou excesso de seriedade que não faz parte da personalidade da pessoa. “É algo estético, mas que impacta os relacionamentos. Quem quer se aproximar de alguém aparentemente sempre mal-humorado? A harmonização pode deixar a expressão mais leve”, explica. 

 

Procedimentos recorrentes

O Dr. Anderson Marques aponta que, hoje, os procedimentos mais utilizados para a harmonização orofacial são o botox – muito útil para suavizar rugas e marcas de expressão, e até prevenir essas ocorrências – e o preenchimento com ácido hialurônico, indicado quando se deseja uma face mais marcada, com ângulos do rosto nítidos, onde se consegue identificar bem a transição da face para o pescoço.

Outra técnica muito útil para atingir os melhores resultados são os bioestimuladores injetáveis de colágeno, que tratam de dentro para fora. “Destinados a várias faixas etárias, melhoram a qualidade e a flacidez da pele, garantindo um ar mais rejuvenescido e sem o aspecto artificial. Essa é uma boa opção para quem busca reverter os sinais da idade, sem alterar as proporções do rosto”, comenta o Dr.Anderson. 


A bichectomia é outro recurso bastante recorrente atualmente, tanto para fins estéticos quanto funcionais. É a remoção das chamadas bolsas de Bichat, que são aquelas bolas de gordura presentes nas bochechas. Pode ser indicada quando o paciente morde sem querer essas áreas ao falar ou mastigar, ou, em outras frentes, para quem emagreceu, mas continua com o rosto redondo, e quer uma definição maior. “Porém, é preciso que o profissional estude o resultado final no seu conjunto. Essa remoção, em algumas situações, pode causar flacidez, e demandar outro procedimento para correção”, completa o especialista.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp