CIDADE NO AR Publicidade 728x90
08/06/2023 às 13h31min - Atualizada em 12/06/2023 às 00h03min

Tenente Coimbra participa do 2º Simpósio das Escolas Cívico-Militares

Deputado estadual discursou no evento, que foi realizado em Brasília nesta semana

SALA DA NOTÍCIA Gabriela Nebot
divulgação
O deputado estadual Tenente Coimbra (PL) participou do 2º Simpósio das Escolas Cívico-Militares, que foi realizado em Brasília, nesta semana. Ele esteve ao lado do ex-diretor do programa das escolas cívico-militares, Coronel Gilson Passos, e do presidente da Abemil (Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar), Capitão Davi. Ao longo do evento, o parlamentar paulista discursou e ressaltou a importância do programa.

“Ela (escola cívico-militar) aumenta em 20% a nota no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), diminui a evasão escolar e também a agressão dentro da escola. Isso não é teoria. São dados”, ressaltou.

Diante disso, ele afirmou que “só dois tipos de pessoas são contra as escolas cívico-militares: aqueles que já tem uma formação ideológica que não os permite olhar fora da caixinha e quem não conhece o programa. Que todos sejam propagadores das informações deste modelo”.

Autor da lei que implementou o programa em São Paulo, Coimbra disse que as comunidades escolares sempre se mostraram favoráveis ao programa. “Em São Paulo, fizemos mais de 15 implementações ou processos de implementação. Em nenhuma comunidade tivemos menos de 60% de aprovação”.

O parlamentar também reiterou que é essencial que associações e outras entidades se esforcem para levar mais escolas deste tipo para as cidades brasileiras. Afinal, o governo federal, que é o responsável pelo custeio do programa, não incentiva o projeto, criado na gestão do então presidente da República Jair Bolsonaro.

“Embora o governo (atual) não acabe com o programa, ele não vai fazer questão de que haja a continuidade. O governo quer ir desidratando o programa, para que os índices não sejam positivos, para poder dizer que a escola cívico-militar não presta”, explicou.
Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp