09/06/2021 às 17h56min - Atualizada em 10/06/2021 às 14h40min

Open Finance será o próximo passo do Open Banking?

Essa e outras questões sobre a democratização do setor financeiro serão debatidas durante o Fintech View, no dia 16 de junho

SALA DA NOTÍCIA Carolina Amaral
A digitalização dos serviços financeiros no Brasil vem assumindo protagonismo nos últimos anos, processo acelerado pela pandemia. Segundo a Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2020, em parceria com a consultoria Deloitte, as transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais - Internet e Mobile Banking - foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril do ano passado, um mês após o início da quarentena e do isolamento social para controlar a propagação da Covid-19. Neste cenário, as fintechs receberam a maior parte dos US$ 3,2 bilhões investidos em startups brasileiras nos primeiros cinco meses de 2021, de acordo com o relatório Inside Venture Capital, elaborado pela empresa Distrito.
O crescimento do número de fintechs e do volume de investimentos reflete o atual momento do setor financeiro, que vive a implementação da primeira fase do Open Banking, um sistema regulamentado pelo Banco Central que vai permitir o livre compartilhamento de APIs, ou interfaces de programação de aplicativos, para estimular a livre concorrência. Para discutir a evolução deste mercado, as questões regulatórias que envolvem o funcionamento do Open Banking, que terá quatro fases – a segunda delas começa em 15 de julho -, os benefícios, escalabilidade dos negócios e segurança, o Fintech View promoverá no dia 16 de junho, de 14 às 19h45, um evento online e gratuito com grandes especialistas do setor e representantes de órgãos regulatórios.

O primeiro painel “Sandbox Regulatório como facilitador da inovação no mercado financeiro” reunirá, das 14h05 às 14h50, Antonio Carlos Berwanger, superintendente de Desenvolvimento de Mercado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM); Matheus Rauber Coradin, coordenador do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central; Thiago Barata, coordenador da Susep, sob a moderação de Marcelo Martins, diretor da ABFintechs. “Os órgãos reguladores estão incentivando esta agenda com a criação de estruturas como o Sandbox, um ambiente de testes para empresas, fomentando a inovação com menor custo regulatório”, destaca Regina Crespo, curadora do Fintech View.
Outro destaque será o painel sobre Open Finance, das 15h25 às 16h10, que abordará novos modelos de negócios e parcerias para ampliar a oferta de serviços personalizados, com a participação de Renato Terzi, CEO da BMG Corretora de Seguros; Rogério Melfi, especialista em Novas Plataformas da Tecban; Thiago Saldanha, CTO da Sinqia, com a moderação de Ingrid Barth, Fundadora do Linker e conselheira do conselho deliberativo do Open Banking com o Banco Central.
O mercado financeiro vem sendo transformado por meio de iniciativas como Open Banking, que em sua evolução será chamado de Open Finance. Isso exige um novo olhar sobre o desenvolvimento e o consumo de APIs, que irão permitir a comunicação entre sistemas parceiros de maneira ágil e integrada. “O cenário de Open Banking, que evoluirá para Open Finance, colocará nas mãos do consumidor final o poder sobre seus dados”, afirma a curadora do Fintech View, que também acredita no aquecimento do mercado de investimento de M&A em startups financeiras.

Novas oportunidades
As novas regras e tecnologias do Open Banking são vistas como alternativa ao antigo modelo de negócios dos bancos, que restringia informações dos clientes a uma única instituição. Dessa forma, o acesso a melhores ofertas do mercado era limitado. Já o Open Banking parte do pressuposto de que a informação pertence ao cliente e não a uma determinada instituição, o que permitirá que outros bancos e fintechs conheçam o histórico dos usuários e ofereçam soluções personalizadas e com melhor custo/benefício.


As vantagens da democratização do Open Banking serão abordadas em palestra de Breno Costa, diretor de Produtos e Sucesso do Cliente da Neurotech, e Thiago Alvarez, CEO do GuiaBolso e membro do comitê de Open Banking do Banco Central, que acontecerá das 16h20 às 16h45.
Na sequência, das 16h45 às 17h30, o Fintech View discutirá a importância da infraestrutura e a demanda por tecnologia e soluções B2B2C para acesso a serviços financeiros. Participam desse painel Marcelo Silva de Queiroz, Head de Estratégia de Maercado da Clearsale; Rafael Lavezzo, CRO da Zoop e Anderson Olivares, Diretor de Novos Negócios da Conductor, com moderação de Carlos Oliveira, CEO da Certdox.
Se em algum momento você já se perguntou se “todo mundo pode ser fintech?”, a resposta pode estar na palestra de Wendel Paz, diretor da CSU, que aproveitará o espaço, das 17h40 às 18h05, para fazer uma reflexão sobre as oportunidades alavancadas com o modelo Banking as a Service (BaaS) e o próprio Open Banking.
Após a palestra da CSU, Edmar Siqueira, head de Inovação e Pagamentos Digitais da First Tech, apresentará um case de sucesso, das 18h05 às 18h25, em que mostrará como as fintechs podem escalar seus negócios com agilidade e segurança. As discussões continuam com o painel “Investimento – Hubs de inovação, aportes, M&A no ecossistema fintech, das 18h30 às 19h15. O jornalista Danylo Martins, fundador do Finsiders, fará a moderação do painel que vai discutir os investimentos crescentes no ecossistema, que contará com a presença de Adalberto Leidenfrost, investidor e presidente do conselho da YBYRA.SA; Gustavo Araújo, cofundador e CEO da empresa de inovação aberta Distrito, e Victor Xavier, gerente de Aceleração de Negócios na Endeavor Brasil.
A palestra de encerramento do Fintech View será com Marcos Pedroso, gerente de Parcerias e Plataformas Abertas na TecBan. das 19h15 às 19h40, quando o executivo abordará como as soluções digitais promovem acesso a serviços financeiros e impulsionam a economia promovem a inclusão social.
“O evento terá uma programação robusta, com grandes nomes do mercado, para levantar questionamentos, compartilhar diferentes pontos de vista, apresentar soluções e possíveis caminhos para que a implementação do Open Banking no Brasil seja bem-sucedida e beneficie, de fato, o consumidor. A tendência é que este conceito seja substituído gradualmente por Open Finance, envolvendo novos players para que outras áreas do mercado financeiro também possam se beneficiar do sistema aberto”, complementa Regina Crespo.

ANOTE EM SUA AGENDA
Fintech View – Evento online e gratuito
Dia: 16 de junho
Horário: Das 14h às 19h45
Inscrições: https://www.fintechview.com.br/
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp