CIDADE NO AR Publicidade 728x90
09/02/2023 às 17h15min - Atualizada em 10/02/2023 às 00h01min

Preços de cursos de graduação em faculdades privadas têm queda, aponta estudo

Levantamento aponta para uma queda nos preços cheios de cursos de graduação presenciais e a distância

SALA DA NOTÍCIA Denise Freitas
imagem gratuita do Freepick

Realizado pela Quero Educação, startup que possui o maior ecossistema de marketplaces e produtos educacionais do país, a partir da análises de dados do Censo da Educação Superior 2021 do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) – órgão ligado ao Ministério da Educação responsável por exames e pesquisas educacionais – e também dados próprios, obtidos pelo time de Inteligência de Dados da Quero Educação, o Panorama do Ensino Superior Privado no Brasil 2022 trouxe um overview do mercado de ensino superior, com resultados apontando para uma deflação 8,93% na média de preços cheios dos cursos de graduação presenciais no segundo semestre de 2022 ao ser comparado com o mesmo período de 2021. 

 

 

Segundo Marcelo Lima, CRO da Quero Educação e responsável pelo Projeto do Panorama, “isso indica que, após sucessivos aumentos seguindo a inflação, as Instituições de Ensino Superior se viram obrigadas a ajustar o preço cheio de seus cursos presenciais em -8,93%, e compensando parte dessa diferença com o aumento de 1,62% na média de preço com desconto, que costuma ser trabalhado por elas tanto em ofertas específicas, quanto em marketplaces de educação, como é o caso da Quero Bolsa.”

 

Essa média se adequa à menor propensão dos estudantes em pagar o preço daquele curso: “No comparativo com a inflação de demanda, que mostra a disposição do estudante em pagar a mensalidade ofertada, fica visível o descasamento com a inflação da oferta dos preços com desconto. Em praticamente todas as áreas analisadas, o estudante estava menos propenso a pagar o preço do curso”, completa Marcelo Lima.

 

Áreas com maior queda de preço

 

Na média nacional, humanidades e artes são as áreas que também apresentam a maior deflação, com uma queda de 15,44% no segundo semestre de 2022, comparado ao segundo semestre de 2021. Saúde e bem-estar, segmentos que tiveram bastante demanda em 2022 apresentaram queda de 8,91%. Já a área que apresentou a menor deflação no período foi agricultura e veterinária, com 0,81%

Gráfico, Gráfico de cascata    Descrição gerada automaticamente

Gráfico, Gráfico de cascata Descrição gerada automaticamente

 

Redução de preço por região

 

Ao analisar a redução de preços por região, notamos que a região Sudeste apresentou a maior queda de preço do cenário nacional, com uma deflação de 15,88%, já a região Norte do Brasil apresentou um aumento de 4,22%.  

 

Gráfico, Gráfico de cascata    Descrição gerada automaticamente

Gráfico, Gráfico de cascata Descrição gerada automaticamente

 

 

A ascensão do semipresencial

Apesar de ainda não ser uma modalidade oficialmente reconhecida pelo MEC, o semipresencial vem ganhando espaço nas faculdades privadas. “A adoção do modelo surge como uma resposta das Instituições de Ensino privadas à crescente demanda de alunos por um ensino híbrido” explica Marcelo Lima. 

 

A área de saúde dominam os cursos mais buscados

No segundo semestre de 2022, os cursos da área de saúde foram predominantes entre os dez cursos mais buscados em todas as três modalidades de ensino –  presencial, semipresencial e ensino a distância. O destaque fica por conta do curso de Enfermagem: ele lidera as buscas nas três modalidades, mesmo naquelas em que ele não atua, como é o caso do EaD.

 

 

Este estudo interativo e gratuito está disponível a todos pelo link: https://que.bo/panorama2022


Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp